Vídeo: Um Planeta Faminto e a Agricultura Brasileira

Como tornar um assunto que seria relativamente chato e maçante a boa parte da população, divertido e interessante?

BasfAgro - Vídeo: Um Planeta Faminto e a Agricultura Brasileira

Com o vídeo “Um Planeta Faminto e a Agricultura Brasileira” a divisão Agro brasileira da indústria química Basf tenta fazer com que os brasileiros se preocupem mais com a origem de seus produtos e consequentemente enalteçam a produção agrícola nacional. Além de fazerem uma bela homenagem ao agricultor brasileiro.

Usando a abusando de técnicas de data visualization a produtora ZAP Filmes em conjunto com agência e21 criaram um vídeo excepcional que demonstram a importância do agricultor em nossas vidas. Confesso que nunca me interessei tanto pelo assunto, mas com esse excelente vídeo é impossível não começar a se preocupar. Comigo, a idéia funcionou… ;)

 

Assista também a versão americana, produzida pela BASF nos EUA e que originou a versão brazuca, acima.

Números interessantes nas 2 primeiras semanas de blog…

…2 semanas! 2 semanas! Parece que foi ontem que voltei a blogar… como o tempo “avoa”… 7 anos postergando a volta e quando volto tudo parece mais complicado. Sabia que seria assim, afinal não disponho do mesmo tempo que a alguns anos atrás, mas a volta não foi apenas por “querer” voltar a blogar, mas sim por necessidade de ter um espaço para experimentos (SEO principalmente), discussões e “desestressamento”, sim, escrever me acalma… ;)

E essas duas semanas me mostraram que eu não estava tão enferrujado assim, tive poucas visitas (considerando o que tinha a 7 anos atrás), mas muito mais do que eu esperava. Aos poucos vou reestabelecendo minha rede de contatos e nessas duas semanas que se passaram deu pra tirar alguns números interessantes referentes aos visitantes do blog.

Já sei que depois do Google e do tráfego direto, a maior parte de minhas visitas anda vindo do Facebook, seguido pelo Twitter, após isso o tráfego parte de outras redes de relacionamento e por fim em links de páginas que existem desde quando eu blogava a 7 anos atrás… ;)

Mas o mais bacana é analisar as preferências dos usuários…

Se pensarmos apenas em browsers… eu sei que 40% do meu tráfego vem do Firefox, 23% do Chrome e 19,33% do IE.

Blog Estatísticas - Browsers

Se pensarmos apenas em sistemas operacionais… eu vejo que, como era de se esperar, o Windows domina com 54%, seguido pelo Mac OS com 30%, mas daí vem uma baita surpresa… o 3º colocado é nada mais, nada menos que o iPhone com 10% de visitas. Confesso que realmente fiquei surpreso com esses dados…

Blog Estatísticas - Sistemas Operacionais

Daí ao misturarmos Browsers e Sistemas Operacionais… obtemos um empate técnico! Engraçado saber que os 40% de Firefox que visitam o blog, se dividem por igual entre Windows e Mac. Bom saber que ao menos em minha audiência o IE perde sua força consideravelmente… ;)

Blog Estatísticas - Sistemas Operacionais vs. Browsers

Por fim, a melhor das estatísticas em minha opinião, a Resolução de Tela… e com ela descobrimos que o 800×600 simplesmente morreu! Isso vai virar assunto de um post futuro, mas posso dizer com todas as letras que no meu quintal o 800×600 morreu! :)

Blog Estatísticas - Resolução de Tela

Estes são apenas números colhidos nas duas primeiras semanas de blog (entre 08/01/2011 e 21/01/2011), todas as informações acima podem (e vão) sofrer alterações, mas é bacana acompanhar o comportamento dos usuários e como anda indo (no seu quintal) a “guerra” entre browsers e sistemas… ;)

Os dados acima foram tirados via Google Analytics em conjunto com o plugin para WordPress WP Google Analytics.

Wikipedia… 10 anos!

Wikipedia

Em 15 de Janeiro de 2001 nascia o que viria a se tornar uma das maiores referências atuais na web, sendo o 5º site mais acessado do mundo. Jimmy Wales e Larry Sanger criaram a Wikipedia a partir de um aperfeiçoamento da Nupedia (“falecida” em 2003).

Eu não me recordo exatamente quando acessei meu primeiro artigo na Wikipedia… só sei que a muitos anos ela serve como uma excelente base de pesquisa. Você não pode utilizá-la como a sua única fonte de pesquisa, mas pode e deve começar por ela. Muitos condenam alguns de seus artigos, pois os acham superficiais demais ou então “mentirosos” demais (o que não é verdade… experimente incluir um artigo sem relevância ou uma informação incorreta em um artigo já existente… em questão de minutos – as vezes, segundos – essas informações já não estarão online). O fato é que com cerca de 1 milhão de colaboradores/revisores (eu incluso), a Wikipedia se tornou sim uma fonte de peso na internet.

Vi diversos sites criando homenagens aos 10 anos da Wikipedia, inclusive a própria organizou eventos e festas em diversas partes do mundo. Jimmy Wales também não deixou de fazer o seu pronunciamento oficial ao evento. Mas sem dúvida alguma, o mais bacana que vi até agora foi a animação criada pelo estúdio Jess3 (que é especializado em mostrar números e fatos bacanas das empresas de uma forma lúdica e interativa), onde eles demonstram em uma excelente animação os mais de 17 milhões de artigos distribuídos em mais de 270 línguas pelo mundo na Wikipedia. Vale a pena ver o vídeo abaixo… com narração do próprio Jimmy Wales.

Update em 22-01-2011:

Caso o vídeo acima do Vimeo não abra, tente assistir no Youtube!

Review: Reckless Racing (iPhone)

Reckless Racing (iPhone)

Reckless Racing é um daqueles jogos que você baixa pro celular sem esperar muita coisa, mas se surpreende facilmente ao acessar um mero tutorial.

Antes de comentar qualquer coisa, preciso dizer que eu sou muito suspeito para falar desse tipo de jogo, pois sempre gostei desses “mundos miniaturizados” (talvez por isso goste tanto de jogos de estratégia e fotografias/animações tilt-shift). Isto posto, posso dizer com todas as palavras que esse jogo é extremamente viciante. Ao menos comigo o fator gameplay foi elevado ao máximo durante a jogatina e diria até que, atualmente, esse é o “meu jogo de cabeceira”.

Reckless Racing (iPhone)

Assim que começamos o jogo temos uma excelente surpresa por parte da desenvolvedora sueca Pixelbite. Há 5 modos diferentes de jogo, a saber: Standard (botões direcionais para esquerda e direita localizados a esquerda, mais acelerador e breque a direita), Tank (onde a aceleração é automática e você tem o botão de breque ao centro com os botão de direção um em cada lado da tela), Tilt (onde você tem apenas os botões de breque e acelerador, um em cada lado da tela e controla o veículo através do acelerômetro do iPhone), Half Wheel (meu preferido e é o que usei para os prints das telas nesse post, ao lado esquerdo você possui a metade de um volante e ao lado direito os botões de aceleração e breque) e por fim o Full Wheel (que como o nome diz é bem parecido com a versão anterior, mas com o volante por inteiro ao lado esquerdo. Mais fácil para dar cavalos-de-pau, mas na minha opinião mais difícil de controlar o carro).

Reckless Racing (iPhone)

Quanto aos modos de jogo, são basicamente 3 deles: Dirty Rally (onde você compete com outros 5 veículos), Hot Lap (em que você corre para tentar bater o seu próprio tempo) e Delivery (pra mim o mais bacana de todos… você tem um determinado tempo para pegar objetos em um ponto da pista e levá-los até outro ponto). Não são muitas opções de pistas, mas há bastante variação entre elas (asfalto, lama, neve, sentidos invertidos, etc.) e a princípio você pode escolher entre 6 veículos diferentes, podendo liberar novos carros com o decorrer das conquistas realizadas.

Reckless Racing (iPhone)

Os gráficos são bem detalhados e preparados para a Retina Display do iPhone 4 (não testei no Android ou iPad para saber como são), você percebe um certo serrilhamento, mas nenhum impeditivo para a jogatina. O jogo flui sem travamentos ou soquinhos.

Por fim, vale ressaltar um contra. Não gostei do multiplayer, pois ele possibilita apenas a jogatina via internet em servidores específicos. Não há a possibilidade de jogos locais, via Bluetooth, por exemplo.

Nota final? 9! Principalmente quando falamos de um jogo que sai por US$0,99 na iTunes Store.

PS: Assistam os vídeos abaixo e comparem o Reckless Racing pros celulares atuais com o lendário R.C. Pro Am do Nintendinho 8 bits… sempre que vejo isso, fico impressionado com o potencial que os devices atuais possuem e como éramos felizes com tão pouco naquela época… ;)


HTML5, a marca!

Em tempos de branding, todos querem ocupar seu local ao sol e por que seria diferente com a linguagem (de marcação, diga-se) HTML5?

Atualmente é o que mais se fala entre os desenvolvedores. Para alguns já se tornou realidade, para muitos ainda está em um processo embrionário e distante, mas tanto a Opera, a Mozilla, a Google, a Apple e a Microsoft concordam: HTML5 é o futuro!

Então, já que o assunto está em voga e é o futuro, por que não aproveitar o momento de divulgação da marca e melhorar ainda mais a comunicação de suas diretrizes? Foi daí que surgiu a idéia de se criar uma marca para a linguagem de marcação, HTML5.

Marca do HTML 5

Pelo estudo realizado pela Ocupop, o escritório responsável pela criação da marca, todos falavam sobre o HTML5 (W3C, jornalistas, desenvolvedores, designers, estudantes e toda a comunidade através de blogs e fóruns), mas em nenhum momento havia algo que facilitasse a identificação por parte dos usuários quando o assunto tratado era esse. Cada livro ou artigo criado ou cada reportagem falando sobre o assunto, sempre apresentava marcas, “loguinhos bonitinhos” e ícones e afins sem qualquer ligação entre uns e outros, todos eram “criados por criar”, para ter algo a ilustrar naquele momento.

Foi então que o escritório foi procurado pela W3C para a criação da marca que representasse a linguagem. Após diversos estudos, eles acabaram optando por uma forma onde há rígidos padrões geométricos, porém que podem ser facilmente adaptado as suas necessidades, além de ser estável e elegante (padronização W3C e código semântico, lhes dizem algo?).

O HTML5 possui em sua essência 8 classes diferentes que descrevem a sua utilização, com isso a Ocupop também criou sub-marcas (ao estilo de Badges, assim como o próprio logo) que representam essas classes: Semântica / Acesso a dispositivos / Offline e Armazenamento / Conectividade / Multimídia / 3D, Imagens e Efeitos / Performance e Integração / CSS3.

Em uma página criada exclusivamente para falar da marca, a Ocupop comenta mais a respeito do processo criativo, incluindo aí a definição de conceitos, utilização de cores na marca e as diferenças entre as classes acima mencionadas.

O W3C também está fazendo a divulgação da marca em um hotsite específico para isso. Nesse hotsite você poderá conhecer mais sobre esses conceitos, fazer o download da marca e criar a sua (incluindo as badges específicas de cada classe acima) para incluir em seus projetos.

Por fim, você também pode dar a sua contribuição comprando a camiseta com a nova marca HTML5. Os lucros obtidos com a venda de camisetas serão destinados a complementação dos testes que estão sendo efetuados em diversas plataformas e browsers para uso do HTML5.

PS: Não esqueça de utilizar a hashtag #html5logo ao divulgar ou falar sobre a marca no Twitter.

iTunes App Store… 10 bilhões de downloads!

iTunes App Store
Nesse exato momento a Apple está em contagem regressiva para ver quem será o geek felizardo que fará o download número 10.000.000.000 da App Store.

Assim como aconteceu com o download número 1 Bilhão (que na época foi feito por um garoto de 13 anos, morador de Connecticut, ao baixar o aplicativo Bump para troca de arquivos) a Apple dará de presente um iTunes Gift Card de US$10.000 a quem baixar o App número 10 Bilhões na App Store. A promoção é aberta a qualquer pessoa cadastrada legalmente na iTunes Store, portanto se você pretende participar da promoção, cuidado ao efetuar seus downloads a partir de uma conta argentina ou americana, pois legalmente você está fora das regras do concurso nesse caso.

iTunes Gift CardOs números da App Store demonstram que seu crescimento é exponencial. No fim de 2009 os downloads chegaram a pouco mais de 2 bilhões, já no início de 2010 o número de downloads atingia 3 bilhões e após 1 ano a Apple está na casa dos 10 bilhões. E você, já decidiu quando publicará seu app?

Leia as regras oficiais para mais detalhes.

Link direto para a promoção: http://www.apple.com/br/itunes/10-billion-app-countdown/

Update em 22-01-2011:

App Store - 10 Bilhões

Perdi a chance, pois estava dormindo… os 10 bilhões de downloads foram atingidos pouco depois das 8 da manhã de 22/01/2011. Em breve a Apple divulga o ganhador e o App baixado… ;)

Update em 01-02-2011:

O nome da ganhadora foi revelado pela Apple. O nome dela é Gail Davis e o app número 10.000.000.000 baixado por ela foi o Paper Glider que nada mais é do que um “game” para ver a que distância você consegue jogar um avião de “papel”. O app é free, mas na boa? Não vale nenhum centavo “não” gasto por ele… ;)

“Angry Birds” atacam novamente… agora em pelúcia!

Angry Birds by ©RovioÉ impressionante a quantidade de produtos licenciados pela Rovio relacionados ao jogo Angry Birds. O conceito do jogo em si não é original (principalmente aos fãs do Kongregate), mas não dá pra negar que a Rovio fez um excelente trabalho de marketing ao aproveitar um conceito já existente, criar personagens “fofinhos” e “engraçadinhos” e com isso cair nas graças de pessoas de todas as idades e de todos os lugares.

Como se já não bastasse até a criação de um bolo temático com os pássaros (por esse a Rovio não cobrou nada), temos também agora a opção de comprar os personagens do jogo em pelúcia. E o que é melhor, eles podem ser enviados para todas as partes do mundo (incluindo o Brasil) sem que você corra o risco de ser pego por tráfico de animais (ok… péssima essa, mas não deu pra segurar a piada).

Se interessou? Então peça agora a sua coleção de pássaros e porcos na loja online da Rovio a partir de US$11,99!

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.